Em qual posição você está na Corrida dos Ratos?


Pouco importa se você está em último ou primeiro, pois na real, você está no MESMO LUGAR

 

Se você imaginou uma disputa entre vários ratinhos correndo para ver quem é o melhor, é quase isso mesmo.

Porém, todos estão naquela roda, presos a uma gaiola, e não estão indo a lugar algum. Uns posicionados mais a frente, outros no meio e outros no fundo, mas todos no mesmo quadrante.

Ai você empresário ou com vontade de começar a empreender, deve tá se perguntando: “ Que diabos é isso de rato, corrida e quadrante??”

Foi essa dúvida que eu tive também quando conheci os quatros quadrantes descritos por Robert Kiyosaki no livro, Pai Rico, Pai Pobre, e por isso vou dividir com vocês o que quer dizer essa bendita corrida de ratos:

 

Bom, se a imagem acima não esclareceu, ou porque tá difícil ler com essa letra pequena, ou por realmente estar se sentindo perdido, vem comigo que vamos dissecar, um a um, esses quadrantes.

 

Empregados:

Olha os ratos aí.

Quem está nessa parte do quadro, é maioria no Brasil, e vive um mês pelo outro, no famoso “vendendo almoço para comprar a janta”.
Estar nesse quadrante é trabalhar pelo dinheiro, ser empregado dele e estar sempre vendo a cauda de outro rato na sua frente, sem conseguir perceber que está num ciclo infinito para lugar nenhum.

Esse quadrante é o que dá a maior sensação de segurança, porque todo fim de mês é certeza que uma quantia vai cair na conta, e você vai comprar sua TV nova, pagar a parcela do carro e levar a patroa ou o maridão para jantar no fim de semana.

Mesmo assim, independência financeira nessa parte do quadro, não passa de um sonho inalcançável.

 

Autônomos e microempresários:

Os ratos que estão mais à frente na roda.

Parecem um pouco melhores colocados, mas estão sempre dedicando todo seu tempo e energia para ter uma renda no fim do mês que cubra seus gastos.
Se o autônomo não trabalhar por um dia, são 24 horas de faturamento descendo pelo ralo, agora imagina se tira férias ou fica com uma gripe forte, é renda dando tchau sem volta.

Mas se você é autônomo ou dono de micro empresa, calma, só o fato de depender de si mesmo já é uma alavanca muito grande para te tirar dessa corrida de ratos sem propósito, e te colocar do lado de lá do quadro, onde independência financeira é uma realidade tangível.

 

Dono de empresa:

Agora estamos falando com uma parcela bem pequena da população, 4% em média.

Aqueles que foram contra todas as burocracias e dificuldades impostas para quem quer empreender, e conseguiram levantar um negócio sustentável, com bastante colaboradores para carregar adiante sua empresa.

Aqui você já terá um propósito que vai enfim te tirar do páreo na corrida dos ratos e te transformar num mero espectador que se beneficia do que geram os “corredores”.

Você terá finalmente a chance de implantar de forma sistêmica, um organograma com funções bem definidas, cargos de confiança, renda e fluxo de caixa bons o suficiente, para que a empresa não precise da sua presença ou energia em tempo integral.

E com esse “tempo livre” que você chega no último estágio.

 

Investidor:

O Eldorado de todo empreendedor, a tão sonhada independência financeira. É a hora que você para de trabalhar e tem o dinheiro como funcionário seu.

Investindo em outros negócios e sistemas, que vão fazer seu dinheiro crescer, sem afogar sua vida pessoal.
O que você ganha aqui é qualidade de vida, saúde mental, e claro, liberdade para fazer aquilo que te dá mais prazer, seja curtir com a família, viajar ou até executar projetos que te completam como pessoa e retornem algo para sociedade.

 

À primeira vista, esse conceito de “corrida dos ratos” pode parecer até agressivo ou pejorativo, mas a ideia que o Robert Kiyosaki quer nos trazer é que esse comportamento coletivo, de manada, seguir o fluxo, só vai te manter num ciclo para lugar nenhum. Vai te deixar numa vida medíocre, sempre trabalhando muito para um retorno baixo que te traz apenas uma sensação de segurança.

Mas acreditando você, ou não, estabilidade NÃO existe. Por mais que sua situação pareça estabilizada, esse cenário é temporário.

Então, esteja preparado e tenha um mindset blindado para saber sair mais forte de situações adversas.

Como diz aquele ditado antigo: Mar calmo não faz bom marinheiro.

Encare as turbulências de peito aberto, aprenda com elas, atravesse para o lado de lá do quadrante e tenha o caminho aberto até a independência financeira.

 

P.S. Não há nada de errado em ser empregado ou autônomo se isso te traz paz, não tome para si uma pressão desnecessária, mantenha-se leve.
Não é à toa que só os 5% atingem esse patamar, é um caminho difícil e desgastante, mas é possível e recompensador.

Manda um “alô” pra gente:



 

Ligue: (16) 3902 3644, mande um e-mail ou chame aqui!


Ah! Pode chamar no “zap” também

luiz

Luiz Paulo

Planejamento Estratégico
Fiz faculdade de Propaganda e Marketing, mas foi com o mercado que aprendi de verdade.
Sempre evoluindo, aprendendo e disseminando o melhor que o marketing digital pode oferecer, afim de transformar vidas.

Instagram: @luizpaulotg

Sigam-me os bons (e os mais ou menos também):
0

Deixe um comentário


Gostou? Espalhe a palavra