Magalu foi comprar sapatos e voltou com a Netshoes inteira


Eletrodomésticos, cama, mesa, banho, roupa, sapato… O que mais está por vir, Magalu?

 

Se você está lendo esse texto, com certeza já fez uma compra online alguma vez na sua vida.

Um celular, uma TV, uma passagem aérea ou até um carro, essas coisas podem ser compradas online em poucos cliques.

Mas mesmo o maior comprador online (que é o meu caso), esbarra em alguns itens que são difíceis de serem adquiridos numa loja virtual, e ele são: Vestuário.

Para comprar um micro-ondas ou até uma geladeira, é fácil, basicamente precisa-se analisar as questões técnicas, preço, ver uma avaliação ou outra e pronto, adicionar ao carrinho, dividir no cartão e aguardar uns dias que o pacote chega no conforto da sua casa.

Agora, quando falamos de roupa e sapato, o cenário muda.

Ainda rola aquele receio de não saber como vai ficar a camisa no corpo, mesmo você sabendo o tamanho correto, ou se aquele tênis tem o formato adequado para não machucar seu pé. Tudo isso sempre foi um grande empecilho para quem pensava em comprar roupas e sapatos online.

Foi ai que entrou no negócio a Netshoes. Talvez você já tenha comprado algo lá, mesmo que para presentear alguém e se nunca comprou já ouviu alguém falar sobre.

Essa empresa revolucionou o mercado virtual de compras de vestimentas, com preços extremamente atrativos, entrega rápida e com qualidade, os usuários foram crescendo numa proporção mega acelerada. A barreira que falamos acima, foi obliterada pela rapidez na entrega e pela facilidade e agilidade quando eventuais trocas eram necessárias.

Mas do que isso, a Netshoes inverteu a cultura antes estabelecida. Pela primeira vez, observou-se um movimento onde as pessoas frequentavam lojas físicas, experimentavam um calçado ou uma roupa para ter certeza de tamanho e visual, saiam da loja e finalizavam a compra via e-commerce da Netshoes.

Se não ficou claro o que aconteceu, calma que eu explico:

Os concorrentes como Centauro, DI Gaspi e Decathlon, passaram a ser apenas mostruário e provador do cliente Netshoes.

Isso é surreal, mesmo no século XXI.

Essa quebra de paradigma encanta até quem torce o nariz para a modernidade que a internet traz.

Mas essa inovação não rendeu apenas deslumbre de nós profissionais de marketing que estudamos o caso, rendeu também a valorização da marca, que foi consolidada em números na última semana.

No último dia 03/05/2019, o Magazine Luiza iniciou o processo de aquisição da Netshoes por 62 milhões de dólares, algo próximo a 250 milhões de reais.

O Magazine Luiza, gigante do varejo físico no Brasil, já vem há tempos apostando também na sua loja online, inovando inclusive com a implementação da Magalu (que ilustra nosso artigo), uma inteligência artificial responsável por uma sensação de atendimento humanizado que tem sido de grande valia para os consumidores da loja.

Agregando a Netshoes ao portfólio do grupo, a senhorita Magalu se torna um monstro quando se trata de venda online, controlando uma boa fatia desse mercado. Se ainda colocarmos os tantos marketplaces que já são afiliados da marca, o domínio se estende para todos os cantos do Brasil.

Isso enfatiza ainda mais a necessidade do seu negócio estar online.

Talvez o vislumbre de nadar no mesmo mar que esses tubarões te assuste, mas se você já viu aqueles documentários do Discovery, sabe bem que os grandes não abocanham tudo e sempre sobra alimento para os menores. A questão é coexistir, não competir.

E o seu negócio, está online? Se sim, conte conosco para ajudar a melhorar.

Agora, se não, corre, esse mar é grande, mas a cada dia fica mais concorrido.

Se bobear, vai morrer na praia.

Tire suas dúvidas com a gente, e vamos colocar sua marca na internet.

luiz

Luiz Paulo

Diretor de Marketing
Fiz faculdade de Propaganda e Marketing, mas foi com o mercado que aprendi de verdade.
Sempre evoluindo, aprendendo e disseminando o melhor que o marketing digital pode oferecer, afim de transformar vidas.

Instagram: @luizpaulotg

Dê sua opinião ou faça sua pergunta:

 



 

Ligue: (16) 3902 3644, mande um e-mail ou chame aqui!


Ah! Pode chamar no “zap” também

Sigam-me os bons (e os mais ou menos também):
0

Deixe um comentário


Gostou? Espalhe a palavra